ECOCARDIOGRAFIA ADULTOS

Duração:
6 dias (12 períodos)

Carga Horária:
60 horas/aula

Nível:
Iniciante

PRÓXIMAS DATAS

JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
02 a 07 24 a 29 09 a 14
16 a 21
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
08 a 13 23 a 28 22 a 27
22 a 27

METODOLOGIA

Curso teórico e prático.

O bloco teórico conta com aulas de princípios físicos, otimização de imagens, anatomia ecocardiográfica, função ventricular, valvopatias, miocardiopatias, coronariopatias e outras patologias, ministradas com recursos multimídia e apostila ilustrada com os slides apresentados. O bloco prático é desenvolvido em boxes amplos, vários modelos de equipamentos e supervisão de professores e monitores.

O número de alunos por equipamento é limitado.

O curso de Ecocardiografia Adulto é indicado para médicos cardiologistas que queiram se introduzir no método da ecocardiografia e médicos ecocardiografistas que desejem reciclar seu conhecimentos.

Treinamento básico e intermediário com prática intensiva nas técnicas de ecocardiografia modo M, bidimensional, Doppler e Doppler em cores para cardiologistas e ecocardiografistas.

Graduação em medicina, de preferência cardiologista com interesse ou conhecimentos básicos de ecocardiografia.

PROGRAMA (VISUALIZAÇÃO POR DIA)

Parte teórica:
Princípios físicos: Ecocardiografia, Ecocardiografia Doppler, Mapeamento de fluxo em cores. Descrição dos equipamentos. Otimização da imagem. Principais comandos. Utilização do ganho, rampa de compensação, profundidade, pré e pós-processamento e outros comandos. Apresentação dos equipamentos nas salas de exame.

Parte teórica:
Anatomia ecocardiográfica. Posição do paciente. “Janelas” ecocardiográficas. Identificação das estruturas. Relações entre as estruturas. Medidas em modo-M e bidimensional. Doppler normal, contínuo, pulsátil e MFC. Conceito de fluxo laminar e turbulento. Vias de acesso. Otimização do ângulo. V Conceitos de vena contracta e conservação da massa. Aplicação dos conceitos. Cálculo de gradientes e áreas. Metodologia. Uso prático.

Parte prática:
Manuseio dos equipamentos. Regulagem. Escolha dos transdutores

Parte teórica:
- Função ventricular sistólica

- Principais parâmetros

- Conceitos geométricos | Cálculo dos volumes |

Diversos métodos: Popp, Teichholz, Simpson, área-comprimento. Utilização do Doppler. Conceitos do dP/dt e do stress sistólico parietal. Função ventricular diastólica. Enchimento ventricular normal. Fluxograma mitral. Fluxo de veias pulmonares | Doppler tissular | Velocidade de propagação.

Parte prática:
Realização de exames em pacientes.

Parte teórica:

Miocardiopatias restritivas. Fisiopatologia. Etiologia. Ecocardiografia. Aspectos morfológicos. Aspectos funcionais. Miocardiopatias hipertróficas. Fisiopatologia. Etiologia. Ecocardiografia. Aspectos funcionais. Miocardiopatias dilatadas. Fisiopatologia. Etiologia. Aspectos funcionais. Disfunção diastólica restritiva. Fisiopatologia. Identificação com Doppler: fluxograma mitral, Doppler de veias pulmonares, Doppler tecidual, velocidade de propagação. Pericardiopatias. Pericardite constritiva. Derrame pericárdico. Tamponamento cardíaco. Diagnóstico diferencial com as miocardiopatias restritivas.

Parte prática:
Realização de exames em pacientes.

Parte teórica:
Doença arterial coronária. Fisiopatologia. A irrigação coronária. Correlação com os segmentos miocárdico. Isquemia miocárdica sem infarto. Identificação das alterações do relaxamento diastólico. Valor prognóstico. Infarto agudo do miocárdio. Alterações da contratilidade segmentar: hipocinesia, acinesia, discinesia, hipercinesia vicariante. Identificação ecocardiográfica dos diversos tipos. Determinação dos parâmetros de função sistólica. Complicações do infarto agudo do miocárdio. Síndrome de Dressler. Avaliação dos parâmetros para estratificação de risco. Aortopatias. Aneurismas da aorta: saculares e dissecantes. Fisiopatologia. Tipos anatomo-patológico. Identificação ecocardiográfica. Repercussão.

Parte prática:
Realização de exames em pacientes.

Valvas atrioventriculares. Identificação. Morfologia. Valvopatia mitral. Doença reumática. Fisiopatologia. Aspectos ecocardiográficos. Estenose mitral. Avaliação de áreas e gradientes. Quantificação do grau de lesão. Eco escore de Block-Wilkins. Insuficiência mitral. Etiologia. Fisiopatologia. Quantificação da regurgitação. Fração de regurgitação. Lesões da valva tricúspide. Avaliação da pressão pulmonar. Metodologia. Valvas sigmóides. Identificação. Morfologia. Valvopatia aórtica. Estenose aórtica. Etiologia. Fisiopatologia. Estenose aórtica. Aspectos ecocardiográficos. Avaliação de áreas e gradientes. Equação de continuidade. Insuficiência aórtica. Etiologia. Fisiopatologia. Quantificação da regurgitação. Fração de regurgitação. Prolapso da valva mitral. Fisiopatologia. Critérios ecocardiográficos para o diagnóstico. Tipos. Determinação da repercussão. Próteses valvares. Tipos. Identificação ecocardiográfica. Fluxos normais. Gradientes residuais. Endocardite infecciosa.

Avaliação:
Múltipla escolha (20 perguntas) e vídeo (5 vídeos)

Importante: A programação pode sofrer alteração, mas o conteúdo proposto será cumprido. Leia nossa política de cancelamento

Ministrado por:

José M. Del Castillo
Doutor em Medicina, Especialista em Cardiologia (SBC), Especialista em Ecocardiografia com mais de 40 anos dedicado ao ensino da ecocardiografia. Autor do primeiro livro em português sobre Strain Cardíaco. Saiba mais
Antônia Sena
Graduação: Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco – UPFE. Pós Graduação: Curso de Especialização em Biologia “Latu – Sensu” pela UFPE. Mestrado em Morfologia no Departamento de Anatomia da UFPE. Professora da disciplina de Citologia, Histologia e Embriologia da UFPE. Saiba mais
Katarina Barros
Título de especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia em 2019. Professora do Módulo de Ecocardiografia Geral na Escola de Ecocardiografia de Pernambuco (ECOPE) desde 2018. Pós graduação em Ecocardiografia pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) – 2016 a 2018. Graduação em Medicina pela UPE em 2012. Saiba mais
Djair Brindeiro
Graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas em 1972. Pós-graduação em Cardiologia pela Universidade de São Paulo – USP em 1973-75. Sócio Fundador do Departamento de Ecocardiografia – Atual Departamento de Imagem Cardiovascular – DIC. Saiba mais
(*) Todos os campos são obrigatórios
Curso*: Nome*: E-mail*: Telefone*: